Helena Custodio Gordinha de Sucesso.


Helena Custodio é uma gordinha assumida,  Formada em Pedagogia, Blogueira, Apresentadora de um programa feminino no canal 15 da Net da emissora da TV Cidade em Osasco, Palestrante de auto -estima, tem ministrado palestras por todo Brasil, criadora da maior página do Facebook para o publico GG “SOU GORDINHA SIM” com quase um milhão de curtidas, é modelo Plus Size experiente, com 6 anos, acumula grandes e valorosos trabalhos no mundo GG no Brasil, Desfilou, FWPS, eventos plus size e em vários programas de TV.

HELENA CUSTODIO FOI CONVIDADA  PELA REVISTA VEJA PARA DAR DICAS DE ONDE  COMPRAR ROUPAS TAMANHO GRANDE , LEIA  A MATÉRIA E OS COMENTÁRIO DA HELENA CUSTODIO

http://vejasp.abril.com.br/consumo/lojas-plus-size-domingos-de-morais/

Saiu na  revista VEJA SP dando o titulo de Musa GG  do Brasil.

Saiu em duas materias para o site Yahoo.Segunda materia para site Yahoo

 http://blog.megafashion.com.br/2013/08/confira-a-entrevista-de-helena-custodio-para-o-yahoo-mulher/

Sou Gordinha Sim e feliz também.

 Foi convidada para ser entrevistada pela apresentadora Luciana Gimeniz Programa Super Pop  para falar sobre blogueira  plus size  e ser gordinhas com fãs nas  redes sociais 

Saiu em máteria no jornal O Tempo de Belo Horizonte MG e Rio de Janeiro 

ENTREVIqSTA NA RADIO GLOBO FALANDO SOBRE BLOGUEIRAS PLUS SIZE

Helena Custódio criadora da maior pagina no Facebook  com publico alvo de 99% mulheres gordinhas,  com quase um milhão de seguidores SOU Gordinha SIM,onde  posta,  imagens e frases de auto estima , seu lema é não precisa ser magra para ser bonita e feliz. ( Algumas imagens postada na pagina SOU GORDINHA SIM)

O sucesso da pagina lhe rendeu muito sucesso, entrevista em radio, sites e entrevistas

 Helena é uma  mulher batalhadora e cercada de amigos, possuí uma beleza única e um carisma que pouco se vêem…  

Com a  experiência na moda plus size, hoje é convidada para apresentar desfiles e fazer parte de corpo de jure em concursos de beleza plus size.

 É convida a ministrar palestras de auto-estima em vários municípios e estados do Brasil.

 Foi convidada para assinar uma coleção de moda plus size, foi a primeira Blogueira Plus Size brasileira a assinar uma coleção plus size. convite feito pela confecção Lazza,  que atua na Baixada Santista e também apaixonada pela mesma causa, para lançar a coleção de verão 2014, que leva seu nome.

Uma coleção para mulheres que tem prazer em se vestir e gostam de estar na moda. A nova  coleção trás peças composta por modelagem adequada, estilo casual e despojado sem perder o conforto e elegância. São peças femininas que valorizam o corpo e segue tendência da moda, com muitas cores estampas, grafismo e a estampa do tão famoso “azulejo português”  também com recortes que dão todo charme nas peças, valorizando o corpo feminino

 Tem uma fã Page pessoal com fotos de todos os eventos que participa com mais de  62 mil  fãs. 

click e veja HELENA CUSTODIO MODELO PLUS SIZE

quer ver mais trabalhos click aqui—>  MODELO HELENA CUSTODIO

Mulher  determinada que se ama de verdade tem uma família linda, veste manequim 50 , tem 1,70 de altura, 
Leva sua vida bem ativa com  auto-estima elevada e seu senso de humor.

  • 1.      Objetivo

            Sabemos que o preconceito contra “gordinhos” é algo que existe desde o início das sociedades mais modernas. O culto a beleza e a forma física tem atraído cada vez mais atenção para um padrão de beleza praticamente impossível de ser alcançado por grande parte da população mundial. Problemas emocionais como a depressão, são causados pelo preconceito que começa na infância, já na escola e se estende até a fase adulta.

 

  1.      Pontos principais da página
  • • Lutar contra o preconceito massificado existente sobre as pessoas que estão acima do peso ou obesas;
  • Divulgar produtos e serviços exclusivos para pessoas acima do peso;
  • Divulgar eventos e oportunidades para o público da página;
  • Divulgar eventos Plus Size;



Indicação de Leitura

Agora o sou gordinha sim fara algumas indicações de livros que estão disponíveis gratuitamente no site de leitura Wattpad web e também em aplicativo.

Gordinha Sim e cultas também!!!

Hoje os livros indicados são da autora Jessica F. Geber, na minha opinião uma grande e promissora autora brasileira ainda será Best Seller.

jess

Jessica F. Geber

Para autora escrever é…

“Basicamente colocar meu mundo imaginario no papel. Uma ideia surge, e eu começo a criar essa vida imaginaria na minha mente, e as vezes ela acaba parando no papel. E fica mais um sonho salvo ali. (Risos)”

Vamos aos livros escolhi 2 deles um Destino & Desejo (romance) Boreistyc – Segredos  (fantasia) ambos cheios de aventuras

dd

Título: Destino & Desejo – Despertar da Inocência

Autora: J. F. Geber

Gênero: Romance/New Adult

Sinopse: Elize Grimaldi uma garota doce e inocente. Em um lugar improvável conhece Ezra Caverly, um lindo e bem sucedido empresário, carregado de seus próprios vícios e fardos. Após uma desilusão, passa a usar as mulheres apenas e somente para seu bel-prazer. Até conhecer Elize…

Ambos moravam em Nova Iorque, mas seus destinos nunca haviam se cruzado, até agora. Pego de surpresa em um lugar e situação por algo que jamais pensou que escutaria, sentiu uma estranha atração por Elize. Ao conhecê-la melhor, sua atração apenas aumentara. Seu jeito de menina-mulher. Será ela capaz de mudá-lo? Ou ele a mudará?

Disponível em: http://my.w.tt/UiNb/7Kppphkmlw

bs

  

Título: Boreistyc – Segredos

Autora: J. F. Geber

Gênero: Fantasia

Sinopse: E se tudo o que você sabe sobre si mesmo e sobre o mundo fosse apenas a pequena parte de um todo que você não vê? E a ideia que você tem de si mesmo fosse apenas uma gota no oceano de tudo o que — misteriosamente — você é realmente capaz de fazer? Já imaginou estar em seu mundo tranquilo e de repente tudo o que você considera ordinário vira extraordinário?! Alexandra era uma garota comum, de vida e ideais comuns, sua vida tranquila junto a seus pais quando, num dia apenas, um acontecimento, uma revelação e logo uma profecia mostram que a parte da vida que ela conhecia era mero detalhe de um globo ainda maior, onde o mistério é normal e o perigo é eminente — onde ela descobre os mais fortes ímpetos que podem ser despertados no coração de alguém que tem, de um lado, o amor abnegado e verdadeiro dos seus e o ódio de quem ela nem imagina, onde ela descobre o poder da paixão e o viver a vida por um fio. O motivo? Ela simplesmente não sabe! E ninguém ao redor parece querer ajudá-la a encontrar as respostas… Tudo o que querem é protegê-la. Porém a busca pelo sentido da sua missão em seu próprio mundo a fará pagar um alto preço — mas ela não está disposta a ceder… O que será que a jovem boreal irá encontrar no caminho da sua jornada pela busca do sentido de estar viva? O que a aguarda e espera só o tempo e suas escolhas poderão dizer… Neste livro você descobrirá que Shakespeare tinha razão ao dizer que “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que jamais sonhou a vossa vã filosofia…” Venha junto com Alex descobrir um mundo novo onde a sua imaginação é mais real do que o seus olhos podem ver… Você está preparado?

Disponível em: http://my.w.tt/UiNb/c63ntoVekw

Espero que façam uma boa leitura

By. Paulinha Pereira

Filme de comedia de Gostosas, Lindas e Sexies

A comédia nacional deve chegar aos cinemas esse ano.

Está chegando aos cinemas brasileiros uma nova comédia: Gostosas, Lindas e Sexies, projeto dirigido por Ernani Nunes. A referência assumida do projeto é a série de televisão Sex and the City: as quatro amigas dessa história também são bem-sucedidas, amantes da moda, e refletem sobre seus problemas profissionais e amorosos. Mas com uma diferença importante: todas elas estão acima do peso padrão.

“Eu concebi essa ideia há uns nove anos”, explica o diretor. “A gente quebra o paradigma de que gordinhas são difíceis de vestir. Elas aparecem no filme super bem vestidas, muito chiques. Acho que as gordinhas vão querer saber onde podem comprar essas roupas! Dá até para abrir uma loja chamada GLS! Essa sigla é muito boa, não acha? Eu achei o assunto super bacana, e insisti durante anos numa série de televisão”.

“Anos atrás, falei para o meu sócio, o produtor executivo Marcelo Braga, para a gente se focar no cinema, e depois se der certo, nos focamos na televisão. A gente vislumbra uma quadrilogia: começamos com GLS 1, narrado pela Beatriz, uma das nossas gordinhas. No GLS 2 começaria com a Marilu, e assim teríamos o ponto de vista de cada gordinha”.

O AdoroCinema acompanhou um dos raros momentos com as quatro personagens reunidas em cena. Elas se encontram à beira da piscina, tomando champanhe enquanto discutem os problemas pessoais. O cenário foi uma mansão luxuosa na região do Morumbi, em São Paulo, onde mora uma das personagens. Num clima bastante descontraído, o diretor criou diversas versões para o diálogo entre as quatro amigas, durante uma tarde inteira. Um caminhão trazia dezenas (centenas?) de roupas à disposição da equipe, confirmando a importância dos figurinos e acessórios na composição das personagens.

A ninfomaníaca

Mariana Xavier (Minha Mãe é uma Peça) interpreta a divertida Marilu: “Em geral, existe o estereótipo da gordinha engraçada, e nós reclamamos disso. Quando vi que nesse filme tinham quatro personagens diferentes, fiz o teste para a Tânia, a mulher de baixa autoestima. Me pareceu interessante fazer alguém bem diferente do que eu fazia em I Love Paraisópolis. Depois me chamaram para fazer a leitura, e já queriam que eu fosse a Marilu. Fui um pouco resistente, mas o Ernani insistiu e me convenceu que eu deveria fazê-la. Decidi confiar nele!”.

“O desafio foi criar uma personagem com características semelhantes às que eu já faço, mas com diferenças marcantes. O sotaque, por exemplo, é diferente, porque eu sou carioca, mas interpreto uma paulista. Quando o grupo se formou, a dinâmica deu muito certo. Ficamos muito amigas, criamos um grupo no What’s App para afinar a intimidade entre nós, e a amizade fica nítida na tela”.


O diretor Ernani Nunes com suas atrizes

A narradora

Carolinie Figueiredo (Malhação) vive a narradora Beatriz: “Quando eu atuava em Malhação, aos 18 anos, sofria bullying por ser a gordinha. Agora, neste filme, sofro bullying por não ser gorda o suficiente! Acho que vou ser sempre fora do padrão, vou ser gauche na vida. De qualquer maneira, não tenho um corpo para o padrão das revistas. O filme não chega a levantar bandeiras sobre o corpo, mas ele questiona a relação entre a felicidade e a magreza”. 

“Na rua, sempre achei que as mulheres têm um corpo mais parecido com o meu do que com as atrizes que conheço. Pela primeira vez, as mulheres vão se ver retratadas na tela, e não apenas como amiga da protagonista, ou escada de alguém, que é o que normalmente sobra para gordinhas. Neste Sex and the City, a minha personagem seria a Carrie, porque ela narra o filme e está dividida entre dois homens. Eu assisti a todas as temporadas novamente, para pegar um clima que é bem diferente do meu. Eu estava numa fase hippie, num retiro de silêncio, e de repente tive que colocar roupas chiques e salto alto!”.

A empresária

Cacau Protásio (Avenida Brasil) é a bem-sucedida empresária Ivone, dona de vinte de salões de beleza: “É uma personagem totalmente diferente do que já fiz até hoje. Tive muito medo no primeiro momento, mas decidi me jogar. A Ivone é uma mulher rica, classuda, ela usa joias de verdade! Eu ainda chego lá… Ela conhece todas as marcas, algo de que eu não entendo nem um pouco. Precisei fazer aula de etiqueta para ser uma mulher elegante”.

“Fui muito comparada com a Queen Latifah, então busquei filmes dela para assistir. Ela é gorda, é negra, é elegante e consegue armar barraco quando precisa. Nas fotos que fiz para o filme, tentei ter uma força com o olhar, como a Queen Latifah. […] O mundo acha que só mulheres magras fazem comercial, usam bolsa, chinelo. Mas mulheres de todos os tamanhos gostam de moda, de viajar, são bem-sucedidas, fazem sexo. Esse filme vai abrir os olhos de muita gente”.


O diretor Ernani Nunes (de costas) durante a filmagem

A complexada

Lyv Ziese (Boogie Oogie) interpreta Tânia, uma personagem cheia de complexos: “Procurei personagens que estivessem passando por um momento difícil, à beira de estourar. Então busquei referências da Cate Blanchett, que tem classe mesmo quando está bêbada. Blue Jasmine foi um exemplo, assim como Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos. Thelma & Louise também ajudou, apesar de elas não serem elegantes”.

“Não tivemos nenhum dia de filmagem tenso. Alguns dias foram difíceis, especialmente quando tinha muita figuração, mas o Ernani acertou ao pedir muitos ensaios antes de filmar, como se fosse uma peça de teatro. As cenas mais importantes já tinham marcações, então as quatro puderam construir teatralmente as personagens. Ficamos todas juntas, no mesmo hotel, então quando chegamos ao set, foi essa zona que você viu!” 

Gostosas, Lindas e Sexies 

 

Bazar do Blog Mulherão.

Bazar de Natal do Blog Mulherão tem renda revertida para  hospital do GRAACC


Evento de moda Plus Size doa valor da entrada para a entidade que cuida de crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer


Nos dias 17 e 18 de dezembro o
Blog Mulherão
, da jornalista, digital influencer e empresária Renata Poskus, realiza mais uma edição do “Bazar de Natal Plus Size do Blog Mulherão” com toda a renda da entrada (R$ 5,00 por pessoa) revertida para o Hospital do
GRAACC – Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer.

O Bazar que acontece na Atlética da UNIFESP, em São Paulo, conta com a participação de mais de 20 marcas que além de ofertas especiais também lançam coleções cápsulas voltadas para as festas de final de ano.

Confira as marcas participantes por segmentos:

Moda Praia Plus Size

Belle Plage

Cachopa

Cor de Jambo

 

Lingerie Plus Size

Loja Mulherão

 

Calçados – até tamanho 44

Sandalú Sapatilhas


Acessórios

Clube da Meia-Calça

Luxe Moda & Acessories

Korukru Acessórios em Couro

Mary Help Acessórios Criativos

 

Jeanswear Plus Size

Attribute

True E-motion

 

Moda Casual

Ackon

Assens

Belle Rose

Best Size

Cabide Mix

Carlota-Rio

Fleur Rose

Le Patye

Lu Carmell

Maria Abacaxita

Pacaya

Rainha Nagô

Simone Castilhos

Wish Fashion

Xica Vaidosa

Zuya

 

Corsets e moda retrô

Jelly Maciel Corsets e Algo Mais


Renata Poskus declara: “Trabalhamos há muitos anos com moda Plus Size e conhecemos as dificuldades de encontrar roupas, lingerie, moda praia, sapatos e acessórios em tamanhos maiores e com pegada
fashion principalmente no final de ano quando a procura aumenta ainda mais por causa das festas de final de ano, por isto, apostamos em mais uma edição do nosso Bazar de Natal e para completar, mais uma vez, doaremos a renda da entrada do evento para
o GRAACC, entidade que desenvolve um belo trabalho de apoio aos adolescentes e crianças em tratamento contra o câncer”.

O Bazar Plus Size de Natal do Blog Mulherão é uma excelente oportunidade para comprar roupas bacanas para usar nas festas, presentes e ainda fazer o bem!

 

Serviço:

“Bazar Plus Size de Natal do Blog Mulherão”

Data: 17 e 18 de dezembro 2016

Horário: das 11 às 20 horas

Local: Atlética da UNIFESP

Rua Pedro de Toledo, 844

São Paulo – SP

Informações para imprensa:

Suzana Elias Azar

Suzanajornalista2014@gmail.com

Telefone/ whatsapp: 11 9.9629.0173

 

Dicas para durar relacionamento



1. Dedicação

O compromisso de cada parceiro com a relação não indica apenas se ela vai durar, mas o nível geral de satisfação de ambos os parceiros.
Vamos encarar: relacionamentos dão trabalho! Ambos precisam estar prontos para trabalhar em conjunto, e não um contra o outro. Dito isto, é importante notar que conflitos não fazem um relacionamento ruim, necessariamente. É através deles que os problemas são resolvidos se ambas as partes estiverem dispostas a trabalhar nisso.
2 Apreciação

Casais que permanecem juntos e felizes não apenas amam um ao outro, eles ativamente apreciam um ao outro. Não me importa o que a Disney diz: amor não é suficiente. Casais bem sucedidos admiram e respeitam os diferentes pontos de vista, valores e objetivos existentes. É uma prática, e isso requer um dedicação diária.
3 Empatia 

Empatia é entender como os outros se sentem a partir de sua perspectiva, ao invés de projetar nossas próprias emoções para a situação. Casais felizes trabalham ativamente para entender e validar os estados emocionais um do outro. Essa atitude aumenta os comportamentos pró-sociais (como o voluntariado, e expressar preocupação). Enxergar além de si mesmo, de vez em quando, é essencial para fazer seu parceiro se sentir significante!
4 Atração sexual

Fomos condicionados a acreditar que a atração desaparece inevitavelmente com tempo. Quando os homens se aproximam da velhice, seus níveis de testosterona diminuem e pode ser mais demorado criar excitação. As mulheres, por outro lado, têm proporcionalmente mais estrogênio e entram no que eu gosto de chamar de “anos ativos”.
Este aumento no desejo, juntamente com o declínio do sexo masculino pode afetar a autoestima e a própria relação. Nesse ponto, a atração torna-se ainda mais importante. A boa notícia é que a química aumenta quando ambos os parceiros compartilham o que os atrai no outro, seja física ou emocionalmente.
5 Companheirismo

Casais felizes gostam de passar tempo juntos. Não, eu não estou falando apenas sentar ao lado do outro enquanto assistem reprises de séries antigas. Para esses casais, tempo de qualidade juntos é uma prioridade.
Claro que às vezes ficamos cansados ​​e queremos apenas descansar junto com nosso parceiro. E não há problema nisso. Mas deve sempre se ter em mente que o tempo de qualidade é essencial em um relacionamento feliz.
Fonte: Mind Body Green

Sinais claros de que você está vivendo uma vida que não queria

Sabe o que mais tem no mundo? Gente infeliz com o que está fazendo da vida. Gente apenas sobrevivendo em vez de viver de verdade. Gente que nunca vai conseguir ter tempo de verdade, pois não há um verdadeiro motivo para se ter mais tempo. Essa foi uma semana de encontrar gente nesse estágio da vida, dura realidade, mas cada vez mais comum. Será que você está nesse estágio? Veja alguns sinais que podem indicar isso.

1 – Segunda-feira é um martírio

Quem acorda na segunda-feira, imaginando que está indo para um velório, sem qualquer disposição de fazer acontecer, tem um dos sintomas clássicos da sobrevivência.

2 – Reclama sem saber o porquê

Tudo está chato? Tudo é um saco? Sem vontade de fazer muita coisa? Você “bufa” várias vezes por hora com aquelas coisas que aparecem no meio do seu dia? Se você está reclamando de tudo, a toda hora, para todo mundo, você está no caminho de se tornar um “walking dead” (zumbi da vida).

3 – O dia não acaba com aquela vontade de quero mais

Sabe quando seu dia termina, você está tão cansado, esgotado e ainda tem um monte de trabalho para ser feito? Será que você sente aquele tesão de fazer um pouco mais, de tanto que gosta do que está fazendo ou não vê a hora de sair pela porta? (eu não estou dizendo que é para fazer cansado, trabalhar mais, estou só perguntando se você tem vontade de fazer isso)

4 – Faz mais coisas pessoais no trabalho que profissionais

Você chega no trabalho, começa a tocar o dia, daqui a pouco começa uma preguiça e ai você começa a procurar coisas sobre seu TCC, faz coisas do seu trabalho extra, procura da sua próxima viagem etc. Fazer coisas pessoais durante o trabalho não tem problema, se forem no tempo certo e no tamanho do bom senso. Agora quando toda hora você foge para o pessoal, certamente, tem algo errado.

5 – Vive procurando outras oportunidades de emprego

Você vive nos sites de emprego mandando seu currículo e buscando outras oportunidades? Esse é um outro sintoma de que algo está errado com a oportunidade atual. Querer melhorar é natural do ser humano, mas será que você tem um foco específico para isso ou está aleatoriamente buscando algo diferente?

6 – Sem tempo pessoal de qualidade

Há quanto tempo você não faz algo realmente de qualidade para você mesmo? Seu tempo pessoal é prioridade ou é raridade? Pessoas que sobrevivem não conseguem encaixar muito prazer na agenda, são apenas levadas pelo grupo em eventos sociais, mas algo que goste de verdade fica em segundo plano.

7 – Sensação de que está faltando algo

Pessoas que estão sobrevivendo, vivem com a sensação de que precisam fazer algo diferente, mudar a vida, dar a guinada, fazer sucesso de verdade. É um pensamento que vai e volta constantemente, mas sem muitas respostas práticas.

8 – Ausência de desafios

Quem não tem um grande desafio para sua vida, algo que realmente motive de verdade, acaba entrando nesse ciclo de sobrevivência. Esse objetivo pode ser algo profissional como um novo projeto, uma meta desafiadora ou algo pessoal, como um curso, uma certificação, um empreendimento etc.

9 – Foco no presente, futuro incerto

Esse é um conceito para um artigo sozinho, mas o resumo é que muitas pessoas só conseguem enxergar o hoje e nem querem imaginar o que será amanhã. Vivem o presente até ele se esgotar, sem criar um futuro que permita uma vida plena. A vida está tão no automático que essa construção do amanhã não é muito levada em consideração.

Agora, avalie quantos dos sintomas acima estão na sua vida? Se for mais de três, é hora de ligar o farol amarelo; mais de cinco mostra que você está no farol vermelho e precisa fazer algo urgente por você. Lembre-se de que a vida é curta demais, use o seu tempo construindo coisas que tenham importância.

Gorda feliz existe sim 

Contestando a ideia de que ter um corpo gordo é sinônimo de tristeza, mulheres rompem preconceitos e transformam a pressão social em incentivo para a autoaceitação

Reprodução/FacebookReprodução/Facebook

É comum ouvir as expressões “gordinha”, “cheinha” ou “fofinha” quando pessoas querem se referir a uma mulher que está acima do peso idealizado pela sociedade. Definidas socialmente como fora do padrão estético do corpo feminino, muitas mulheres têm passado por um processo de empoderamento, ao se questionarem sobre visibilidade e representatividade dos seus corpos, e preferem ser chamadas de gordas. Desmistificando a ideia de que ter um corpo gordo é sinônimo de tristeza, mulheres têm se tornado protagonistas em romper preconceitos e transformam a pressão social em incentivo para a autoaceitação.

Em uma pesquisa realizada pela revista Marie Claire, intitulada “Por que o mundo odeia as gordas”, estatísticas revelaram que 52% das leitoras acham que é pior engordar 15 quilos do que reduzir o salário em 30%; 37% ficam incomodadas vendo uma mulher gorda comer hambúrguer com batatas fritas e 66% admitiram já ter feito um comentário maldoso ao ver uma mulher gorda usando biquíni. Dados como esses incentivam ainda mais a luta constante das mulheres por mais aceitação e respeito. 

“Gorda e feliz”, é assim que a estudante Daniela Martins, 21, se define. Ela relembra que durante sua adolescência um episódio foi marcante para que ela aceitasse que ser gordo não deve ser sinônimo de depressão. Aos 14 anos, os amigos do colégio decidiram ir à praia e, na época, ela cogitou não comparecer ao passeio por causa do seu corpo. “Era muito difícil usar um biquíni porque todo mundo era magro e eu me achava feia”, disse. 

Sete anos depois, Daniela ainda lembra: uma amiga falou que ela ia voltar para o meu habitat natural, referindo-se ao mar. “Eu decidi ir à praia e até hoje uso biquíni porque eu me sinto bem dessa forma. Sempre gosto de rebater comentários preconceituosos e ficar bem porque se eu ficar triste, é muito pior”. Seja através da imposição da mídia ou por meio de comentários incovenientes, muitas vezes o esforço para emagrecer é mais pesado que o próprio corpo.

Apesar de não conter nos dicionários tradicionais, o termo gordofobia é utilizado para categorizar a repulsa, o nojo e sentimento de raiva de uma pessoa gorda. No livro ‘Erotismo e Mídia’ (2002), os autores Francisco Camargo e Tania Hoff explicam que o corpo veiculado nos meios de comunicação não são os corpos de natureza, mas a representação de um ideal estético. Como consequência, algumas pessoas tendem a negar a liberdade das mulheres e homens serem felizes com um corpo gordo.

“As pessoas sempre repetem a mesma coisa. Me mandam fazer uma dieta poque dizem que tenho um rosto lindo, mas um corpo feio. Eu sempre questiono, feio pra quem? Porque eu me sinto bem assim, pra mim ele é lindo e isso basta”, contou Daniela. Ela explica que não se sente pior porque está acima do peso e fora do padrão estético. É o que também pensa empresária e ativista Cintia Farias, 23, que diz se apoiar em pensamentos positivos e na autoestima para continuar se amando.

“Dificilmente eu tenho vergonha de usar algum tipo de roupa por causa de comentários alheios. Às vezes eu sofro com isso, mas consigo driblar. Me amo cada dia mais”. Para ela, as mulheres cansaram de seguir um padrão imposto e agora buscam, em primeiro lugar, a felicidade. “Eu acho que o movimento feminista está nos salvando cada vez mais, porque nossa causa é falada e nossas referências são outras”, afirmou. 

Na contramão do preconceito, mulheres gordas se unem por respeito

Na Internet e nas redes sociais, o panorâma não é diferente. As mulheres se unem no universo online e trocam mensagens, dicas e textos que ajudam no processo de aceitação e empoderamento feminino. No Facebook, a página “Coletivo Gordas Livres”, com quase dez mil seguidores, tem o objetivo de debater a desconstrução de estereótipos e distorções sobre a mulher gorda, além de discutir e combater a gordofobia de forma horizontal.

A universitária Daniela Martins também possui uma postura combativa nas redes sociais e diz que não liga para comentários gordofóbicos. “Eu gosto de publicar minhas fotos de biquíni ou mostrar o meu corpo, porque gosto dele e as pessoas podem até opiniar sobre isso, mas eu não vou agir de acordo com a vontade de ninguém”. Dona de uma autoestima revigorante, ela diz que o retorno positivos de outras meninas sobre as postagens é gratificante.

Em suas músicas, a funkeira niteroiense MC Carol gosta de falar sobre aceitação de seu corpo e respeito perante as imposições da sociedade. Recentemente, em uma publicação no Facebook, Carol questionou a associação de ser plus size a uma doença, enquanto pessoas magras também sofrem com problemas de saúde e isso é pouco falado.

“Então eu pergunto: será que a saúde está diretamente ligada ao formato do seu corpo? O meu ponto aqui é mostrar que a bandeira que eu levanto é da autoaceitação. Gordas ou magras podemos ter doenças e morrer, podemos trabalhar, podemos nos casar ou não, e ser felizes sem os padrões que a sociedade impõe pra gente. Quero apenas provar que ser gorda não é sinal de depressão, limitação ou qualquer outra coisa negativa”, argumentou na postagem. 

Moda Plus Size

Na época da Renascença, por volta dos séculos XV e XVI, grande parte das pinturas retratavam o corpo feminino de forma farta, com seios grandes e pernas largas. Com a chegada da Idade Moderna e a maior valorização da razão e da ciência, o corpo passa a ser retratado de forma mais funcional, com traços magros. No Brasil, durante o início da década de 1970, o corpo excessivamente magro das modelos começou a ditar a moda feminina e ganhou espaço na mídia. 

Constratando com “a medida certa” dos manequins estampados nas lojas, o ramo das modelos plus size está numa crescente no Brasil. Em 2014, Pernambuco sediou o primeiro concurso estadual Miss Brasil Plus Size no Nordeste. Como em um concurso de moda tradicional, jurados avaliaram a performance das modelos nos quesitos charme, elegância, beleza de rosto e corpo, desenvoltura e simpatia.

A vencedora do concurso e 1º Miss Plus Size do Nordeste, a recifense Babi Luz, conta que sempre foi gorda e desde a adolescência desejou participar de eventos de beleza, mas a resposta era sempre a mesma: “emagreça”. “Quando apareceu a oportunidade de participar do concurso, a minha cabeça mudou completamente. Eu comecei a me aceitar e ganhei a oportunidade de viver, porque antes eu só existia”, explicou.

Para ela, uma das maiores felicidades atreladas à participação no prêmio foi a oportunidade de se sentir sensual com roupas antes não usadas, por vergonha do corpo. “Hoje eu uso vestidos curtos, blusas sem manga e me sinto muito feliz com meu corpo e isso não quer dizer que não estou saudável”.  

Em outubro deste ano, a jornalista e blogueira Juliana Romano, 28, foi a primeira plus size a posar para a Playboy Brasil. Ela estampou a revista na seção ‘Mulheres que Amamos’. A proposta eram fotos somente de lingerie e uma entrevista sobre o trabalho da blogueira. 

Em sua coluna para o site Brasil Post, Romano chegou a pensar que o convite era uma brincadeira. “Eu fiquei orgulhosa de ter sido a primeira mulher gorda a sair na Playboy do Brasil. Quando chegou um e-mail, eu dei risada porque eu não me vejo – e nunca me vi – como uma mulher sensual e sair assim era impensável para mim”. 

Após ser a vencedora do concurso, Babi Luz conta sobre as mudanças na sua vida. Ela agora faz fotos, é agenciada e regularmente recebe convite para participar de eventos de moda. “Hoje eu não sofro, mas entendo que existem pessoas mais sensíveis e se eu puder levantar o astral delas falando sobre meu processo de aceitação, com certeza, eu farei. A gente precisa aprender a amar cada gordurinha que temos”.

Fonte http://www.leiaja.com/noticias/2016

http://fast.player.liquidplatform.com/pApiv2/embed/5fbc59e8b8b00ec07528a1a61ea38524/91de18adeccc157aeafcd9cbcf293b40