Não faça dietas, elas engordam”, afirma nutricionista da USP

Não faça dietas, elas engordam”, afirma nutricionista da USP

Autora do livro O peso das dietas, Sophie Deram defende o emagrecimento saudável e a retomada do prazer de comer

"Não faça dietas, elas engordam", afirma nutricionista da USP Muriel Fond/Divulgação

Sophie é doutora em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)Foto: Muriel Fond / Divulgação

Sabe aquele lema que para emagrecer basta fechar a boca e fazer exercícios? Esqueça. Para a nutricionista francesa, naturalizada brasileira, Sophie Deram fazer dietasrestritivas só ajuda a ganhar peso. Estudos apontam que 95% das pessoas voltam ao peso inicial depois dos regimes, tema abordado por ela no livro O peso das dietas, lançado em dezembro. Doutora em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), em entrevista ao Diário Catarinense, ela falou sobre como emagrecer de forma saudável:

Diário Catarinense — Por que as dietas restritivas não funcionam?

Sophie Deram — Fazer dieta engorda. Isso não sou eu que invento, vem da pesquisa que mostra que 95% das pessoas que fazem dieta depois voltam a engordar e chegam ao peso inicial ou mais. Então, estudos apontam cada vez mais a dieta como um fator de ganho de peso. Estou trabalhando neurociência e nutrigenômica e a gente vê que quando sofre restrição alimentar, você muda a expressão dos genes no cérebro. E uma das adaptações do cérebro é aumentar o apetite. A pessoa fica com mais apetite depois de fazer uma dieta. É demonstrado em estudo que o apetite não só é maior depois da dieta, mas permanece maior por, pelo menos, um ano.

::: Leia mais notícias sobre saúde

DC — Mas então como emagrecer?

Sophie — Eu digo: não faça dieta. Tem que evitar entrar no efeito sanfona. Quando a pessoa cuida da saúde e tem um comportamento alimentar com menos compulsão, menos exagero, ela fica menos estressada com a comida. Então melhora a saúde e, por consequência, o peso cai. Excesso de gordura vem do fato que o corpo provavelmente armazena essa gordura para proteger a pessoa de uma situação de estresse. Em vez de focar no peso, foque na saúde.

DC — Você defende que os alimentos bons ou ruins não existem. Como saber o que consumir e no que confiar?

Sophie — Ao categorizar os alimentos como bons ou ruins se faz um terrorismo. Porque as pessoas pensam que o que dá prazer vai ser proibido. Então dissociação de saúde e prazer está errada. Pode-se comer com prazer e com saúde. Não é um chocolate sozinho que vai fazer você engordar, é o comportamento alimentar. É um erro falar chocolate engorda e brócolis emagrece, por exemplo. Não é o alimento que você vai comer que vai mudar o peso, ele é consequência de vários fatores. Além das calorias, tem o seu estresse, nível hormonal. Essa simplificação de peso relacionado a fechar a boca e malhar tornou nossa vida um inferno.

DC — Como as pessoas podem retomar o prazer ao comer?

Sophie — O prazer de comer é essencial na vida. É nosso equilíbrio, é nosso jeito de ser. O prazer de compartilhar comida com nossos amados faz parte do nosso ser social. E recusar esse prazer dá uma grande angústia. É comprovado que quando você come com prazer, de maneira consciente, saboreando o alimento, você precisa de menos para obter satisfação. Mas se você come com culpa, com gula, com impressão que tem que fazer uma despedida, porque não sabe quando vai comer aquilo de novo, vai comer muito mais.

DC — Há uma preocupação também em relação a crianças e adolescentes que já crescem em meio ao “terrorismo nutricional”. Como os pais podem lidar com isso?

Sophie — É uma grande tristeza para mim, porque vejo crianças que nunca tiveram possibilidade de ter uma relação tranquila, porque em casa está tudo proibido, com a dicotomia do alimento “pode” e “não pode”. E a criança quando tiver a oportunidade, em uma festa, vai se entupir e já estabelece uma relação com alimento muito alterada. O que eu digo para os pais é que eles são responsáveis em oferecer qualidade. Tem que ter alimentos em casa menos ultra processados, eles têm que cozinhar mais. Eu tenho três dicas: não fazer dietas, comer alimentos verdadeiros e cozinhar.

DC — O que é a nutrigenômica?

Sophie — É uma ciência muito recente que estuda como os alimentos estão conversando com seus genes. Todo mundo nasce como um DNA fixo, um genes, mas seus genes vão se expressar dependendo de como você vive, do seu estilo de vida, dos medicamentos. E o fato que mais influencia são os alimentos, o que você come. Mas também significa que ninguém é igual, então é muito difícil dar dicas exatas para todas as pessoas, cada um é diferente e isso é a grande novidade.

::: Confira as 10 dicas de Sophie para chegar ao peso saudável:

Respeite sua fome, saciedade e prazer

Dê valor ao alimento verdadeiro e ao prato caseiro

Faça suas compras na feira

Cozinhe, mesmo que sejam pratos simples. Cozinhar e compartilhar as refeições faz bem à saúde

Tenha rotinas, especialmente para as crianças

Faça as pazes com seu corpo

Agite-se e seja mais ativo

Cuide do seu cérebro, é ele que controla tudo

Coma melhor, não menos

Não se cobre demais e vá devagar nas mudanças de hábitos

FONTE : DIÁRIO CATARINENSE 

Um pensamento sobre “Não faça dietas, elas engordam”, afirma nutricionista da USP

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s